Postado em: 03/11/2022 - 15:53 Última atualização: 04/11/2022 - 07:47
Por: Caio César - Portal Imbiara

Grupo Imbiara de Comunicação se solidariza com repórter da Rádio Cidade de Araxá

Diogo Meira foi agredido por manifestante durante cobertura jornalística sobre os protestos no trevo da BR-262 com a BR-452

Diogo Meira durante participação no programa Cidade Urgente. Foto: Reprodução Redes Sociais Rádio Cidade

O repórter Diogo Meira, da Rádio Cidade de Araxá, estava em uma cobertura jornalística quando sofreu agressões de um manifestante, caminhoneiro natural do estado do Paraná, na última quarta-feira (2), no trevo da BR-262 com a BR-452, na cidade. A data marcou exatamente o Dia Internacional pelo Fim da Impunidade dos Crimes contra Jornalistas.

O trabalho da imprensa é extremamente importante para a população fique sempre informada com as notícias da cidade. Nessas manifestações não foi diferente. Os jornalistas se fizeram presentes para fazer a cobertura à população que ficou assustada com as manifestações de apoiadores do atual presidente da República, Jair Messias Bolsonaro.

Grupo Imbiara de Comunicação

A jornalista Regina Porfírio Botelho de Resende se solidarizou com o repórter envolvido na agressão. “Eu gostaria de prestar solidariedade ao Diogo Meira, da Rádio Cidade. E nós esperamos que isso não aconteça mais. Que eles (manifestantes pró-Bolsonaro) acabem por aceitar o resultado das eleições. Pois até mesmo o atual presidente já aceitou o resultado. A vida continua e as pessoas precisam trabalhar. Se esse pessoal tem tempo para ir nas estradas não precisam trabalhar, o resto da população precisa trabalhar, estudar, tocar a vida normal”

Rádio Cidade

Eveline Drummond, radialista que trabalha com o Diogo Meira, veio para as redes sociais trazer o posicionamento da Rádio Cidade em relação a agressão. “Hoje o que tenho é um sentimento de tristeza, mas sei que temos que aprender com nossos erros e seguirmos a vida. Quero deixar claro aqui que, por parte da emissora, não haverá retaliação ao Diogo Meira por conta deste episódio. E mais uma vez agradeço a atenção de todos vocês que são meus companheiros de profissão, mas principalmente meus companheiros de associação (da AIA)”, diz Eveline Drummond.

AIA

A Associação da Imprensa Araxaense (AIA) se manifestou sobre o ocorrido com o repórter Diogo Meira. Acompanhe a nota de repúdio, na íntegra:

“Somos a favor da liberdade de expressão sim! Um movimento importante para a manifestação do pensamento por meio da palavra ou do gesto. Infelizmente, tem uma camada da sociedade que não sabe respeitar isso em um país que deve imperar sempre a democracia.

A Associação da Imprensa Araxaense (AIA) vem através desta nota repudiar as tristes cenas de agressões ocorridas contra o repórter de uma rádio de Araxá, que estava em pleno exercício de sua profissão fazendo a cobertura de protesto no trevo da BR-262 com a 452 nesta quarta-feira (2). Nem o livre exercício da profissão foi respeitado nessa situação, o que lamentamos muito.

Estamos a favor de uma sociedade mais justa e igualitária para todos e, em pleno século 21, esse tipo de cena não pode mais ocorrer. O papel da imprensa será sempre de informar a população de um modo geral para contribuir com o crescimento de uma cidade, de um estado e até de um país. Nós somos um dos setores mais importantes de atuação que merecemos respeito e sempre reverência pelo trabalho realizado em prol de uma nação.

Em um momento onde a efervescência política está mais destacada, a AIA defende que toda a forma de expressão tem que ser respeitada. Devemos sair em defesa do respeito as instituições e a democracia, do Estado Democrático e do Processo Eleitoral.

Infelizmente, membros da imprensa sofrem agressões por todo o país. Independentemente de governo, repudiamos veementemente qualquer manifestação violenta que não colabora em nada no desenvolvimento de uma nação constituída por uma bandeira com as cores verde, amarela e azul anil, acompanhada pelos dizeres "Ordem e Progresso"

Atenciosamente,
Anete Di Mambro Gandra
Presidente da AIA"

AMIRT

Quem também falou em relação a agressão sofrida pelo comunicador foi a Associação Mineira de Rádio e Televisão (AMIRT).

“A Associação Mineira de Rádio e Televisão (AMIRT) vem, por meio desta, expressar de forma veemente o seu repúdio contra a agressão ao repórter Diogo Meira da Rádio Cidade, integrada ao grupo Jovem Pan, em Araxá, na região do Alto Paranaíba.

O jornalista realizava a cobertura ao vivo das manifestações no trevo que dá acesso às BRs 262 e 452, nessa quarta-feira (2), quando foi interrompido por um manifestante, que mexeu na câmera. O repórter chegou a contornar a situação, mas pouco tempo depois outros manifestantes foram em direção a ele. Um vídeo filmado no local mostra Diogo cercado por manifestantes. Em outro momento, mostra um caminhoneiro e o repórter em luta corporal.

A AMIRT se solidariza com o profissional e enfatiza que é inadmissível que a imprensa seja impedida de realizar o seu trabalho de levar informações de interesse público para a sociedade.

Luciano Pimenta Corrêa Peres
Presidente da AMIRT"